1 de mar de 2013

O Período da Sé Vacante


Alguns padres e leigos têm encontrado dúvidas sobre como proceder na liturgia durante o tempo da SÉ VACANTE, no que diz respeito às Orações Eucarísticas.
Por isso, divulgamos nota da Arquidiocese do Rio de Janeiro, que ajuda a tirar as dúvidas pertinentes sobre a questão acima levantada.
Em seguida matéria da CNBB e elementos da Carta da Presidência aos Bispos do Brasil.

***********************************************************************************
NOTA DA ARQUIDIOCESE DO RIA DE JANEIRO

Em vista da renúncia do Santo Padre, o Papa Bento XVI, ao seu ministério de Bispo de Roma, sucessor de São Pedro, a Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro, com aprovação do senhor arcebispo, Dom Orani João Tempesta, divulga algumas orientações práticas, para os sacerdotes e para o povo fiel, referentes aos três períodos seguintes:
 
1. Período antecedente à renúncia:
Até o próximo dia 28 de fevereiro, às 16 horas do Rio de Janeiro, quando a Sé Romana ficará vacante, governa a Igreja o Santo Padre, o Papa Bento XVI. Como Vigário de Cristo na terra, por ele devemos orações, amor, veneração, respeito e obediência, e seu nome deve ser mencionado na Oração Eucarística.
 
2. Período da Sé vacante:
Durante a Sé vacante, e especialmente durante o Conclave, recomenda-se instantemente que todas as comunidades façam orações e súplicas pela eleição do novo Romano Pontífice. Para tanto, pode ser tomado o formulário da missa “Pela eleição do Papa” (no Missal Romano em “missas e orações para diversas necessidades”).
Considerando a utilidade pastoral, esta missa pode ser celebrada nos dias de semana da Quaresma, mas não nos domingos. Os sacerdotes saberão discernir sobre a oportunidade e sobre o uso moderado deste formulário no tempo da Quaresma.
Durante a Sé Vacante, na Oração Eucarística deverá ser mencionado apenas o nome do arcebispo, podendo-se mencionar também os bispos auxiliares.
 
3. Período posterior à eleição do novo Romano Pontífice:
Anunciada a eleição do novo Romano Pontífice, sejam tocados, onde for possível, os sinos das igrejas, como manifestação de júbilo e acolhida ao novo pastor supremo.
Para cada um destes períodos haverá celebrações no âmbito arquidiocesano e de cada paróquia.
No período antecedente à renúncia, a Igreja no Rio de Janeiro celebrará, no dia 22 de fevereiro, Festa da Cátedra de Pedro, a ação de graças pelo fecundo ministério e pelo grandioso legado, para a Igreja e para o mundo, deixado pelo Papa Bento XVI. A celebração arquidiocesana será na Igreja Paroquial Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, no Centro, às 12h. As paróquias farão sua própria programação na mesma data.
No período da Sé Vacante, a celebração arquidiocesana “Pela eleição do Papa” terá sua data oportunamente divulgada. Também as paróquias terão sua programação própria.
Anunciada a eleição do novo Romano Pontífice, igualmente, será divulgada a data da celebração arquidiocesana de ação de graças. Do mesmo modo, as paróquias programarão suas celebrações.
 
Como devem ser proclamadas as intercessões nas Orações Eucarísticas I, II e III
 
Na Oração Eucarística I:
Nós as oferecemos pela vossa Igreja santa e católica: concedei-lhe paz e proteção, unido-a num só corpo e governando-a por toda a terra. Nós as oferecemos também por nosso bispo Orani e por todos os que guardam a fé que receberam dos apóstolos.
Na Oração Eucarística II:
Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o nosso bispo Orani e todos os ministros do vosso povo.
Na Oração Eucarística III:
E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o nosso bispo Orani, com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.

***********************************************************************************
TRECHOS DA CARTA DA PRESIDÊNCIA DA CNBB AOS BISPOS DO BRASIL
 
No final da tarde desta quinta-feira, 28 de fevereiro, após as 16 horas, quando se iniciou o período de vacância da Sé Apostólica, a CNBB enviou carta aos bispos do Brasil na qual “se une aos irmãos Arce/Bispos e a todas as comunidades espalhadas pelas Igrejas Particulares, para vivenciar esse tempo com particular dedicação à oração em ação de graças pelos oito anos de pontificado do Santo Padre Bento XVI, e pelos Cardeais que elegerão o novo Papa”.
Na carta, a CNBB recomenda que seja lembrada a mesma súplica sugerida pelo então Cardeal Ratzinger, em 2005, antes do Conclave que o elegeu Sucessor de Pedro: “Peçamos com insistência ao Senhor que (...) nos ofereça um pastor segundo o seu coração, um pastor que nos guie ao conhecimento de Cristo, ao seu amor, à verdadeira alegria”.
Os bispos da presidência da Conferência recordam que durante esse tempo litúrgico da Quaresma, torne fértil o ambiente de nossas comunidades para a tomada de iniciativas, como a celebração da Missa ´PELA ELEIÇÃO DO PAPA´, a ´ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO´, a exortação aos fieis para mais aprofundado conhecimento sobre o ministério do Papa, e nos coloque em estreita união com os cardeais brasileiros eleitores: Dom Raymundo Damasceno, Dom Odilo Scherer, Dom Geraldo Majella Agnello, Dom Claudio Hummes e Dom João Braz de Aviz”.
A conclusão da carta traz a renovação da compromisso com a comunhão entre os sucessores dos apóstolos e a confiança no Espírito Santo: “permaneçamos unidos na fé, fortes no amor, esperançosos na ação que conduz e anima a Igreja. Acima de tudo, sejamos dóceis ao Espírito Santo que “introduz a Igreja no conhecimento de toda a verdade (cf. Jo 16, 13), unifica-a na comunhão e no ministério, edifica-a e dirige-a com os diversos dons hierárquicos e carismáticos e enriquece-a com os seus frutos (cf. Et 4, 11-12; 1 Cor 12, 4; Gál 5, 22)” (João Paulo II)”.

0 comentários:

Postar um comentário

Fique ligado - Jubileu 16