4 de ago de 2011

São João Maria Vianney, o Cura D’Ars



1786. Nasce, na cidade de Lion, na França, João Batista Maria Vianney, o terceiro filho do casal Mateus Vianney e Maria Béluse.


De família humilde, João Maria sempre teve inclinação a práticas religiosas, principalmente por conta da educação religiosa dada pela mãe.


Aos 17 anos decidiu-se pelo sacerdócio, inicialmente contra a vontade do pai, mas somente aos 20 ingressou no seminário. Porém, por duas vezes, foi obrigado a deixar o seminário por conta de seu baixo rendimento acadêmico, visto que tinha dificuldades em compreender os estudos, principalmente do latim.


No entanto, padre Balley, um velho vigário amigo de João Maria, conhecendo a situação, intercedeu por ele, dispondo-se a ajudá-lo em suas dificuldades acadêmicas. Assim João Maria pode seguir em sua vocação.


Aos 29 é ordenado padre e enviado para ajudar padre Balley em sua paróquia. 4 anos depois, com a morte de padre Balley, padre João Maria recebe a aldeia de Ars para pastorear. Ao chegar, depara-se com uma situação muito difícil:o povo vivia num paganismo prático e num esquecimento das práticas religiosas; entregava-se à bebedeira; o descanso dominical não era observado; os jovens eram grandes frequentadores de bailes e ignoravam as orientações da doutrina católica; as crianças começavam a trabalhar desde cedo nos campos e mal apareciam nos catecismos. Havia certa religiosidade, mas pouquíssima piedade. O que um homem, com tão pouco nível intelectual e com tantas outras dificuldades poderia fazer diante de tal realidade?


No dia seguinte à sua chegada, padre João Maria, abriu as portas da igreja e pôs-se a rezar, de joelhos, diante do Santíssimo Sacramento; rezava todo os dias e fazia penitência pela conversão do povo.



“Meu Deus, concedei-me a conversão da minha paróquia, aceito sofrer tudo aquilo que quiserdes por todo o tempo da minha vida”.



Depois, começou a visitar as familias catequisando-as e motivando-as a participarem da missa.


A realidade de Ars foi, aos poucos, mudando. O povo começou a lotar a igreja e mais ainda o confessionário. O Cura (como era chamado um vigário de aldeia) ficava horas e horas ouvindo as confissões do povo, chegando a ficar 14 horas seguidas atendendo confissões.


Assim padre Jõao Maria acendeu na vida daquele povo uma chama que veio aquecer e animar aquelas pessoas que estavam desnorteadas, precisando de um orientação para suas vidas.


Padre João Maria Vianney morreu tranquilamente aos 73 anos de idade. Em 1925 foi canonizado pelo Papa Pio XI.


Peçamos a intercessão de são João Maria Vianney por todos os padres, para que possam continuar crescendo santamente, e por todas as vocações, para que Deus continue suscitando e animando, no meio do povo, santas vocações.


O Santo Cura D’Ars, são João Maria Vianney, foi proclamado patrono dos padres pelo Papa Pio XI, em 1929.

0 comentários:

Postar um comentário

Fique ligado - Jubileu 16