4 de set de 2012


Terça-feira, 04 de setembro de 2012, 08h58

Jovem conta como Palavra de Deus mudou sua vida

Kelen Galvan
Canção Nova (da Redação)

Comissão da CNBB
Maria Cecília Rover, assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB
A leitura orante da Palavra de Deus é capaz de proporcionar o encontro pessoal com Jesus e uma mudança radical na vida das pessoas. É o que destaca Maria Cecília Rover, assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB, em entrevista aonoticias.cancaonova.com.

Segundo ela, a partir dessa experiência verdadeira com Jesus através da Palavra de Deus, a pessoa se engaja profundamente na Igreja e é capaz de, mesmo com os desafios e questionamentos, manter-se firme nos valores que são os valores evangélicos.

Márcio Ribeiro, 31 anos, da cidade de Cascavel, no Paraná, experimentou essa transformação em sua vida a partir do momento em que começou a ler a Bíblia diariamente.

Ele conta que antes mesmo de ter tido uma experiência pessoal com Deus, começou a ler a Bíblia aos 17 anos como uma forma de "descansar a mente das leituras dos livros de vestibular", e aos 21 anos, após ter um "encontro especial com Jesus" - como ele descreve-, passou a lê-la todos os dias, até hoje.

"A mudança que ocorreu em minha vida foi significativa porque pude entender o plano de salvação que o Senhor tem para o mundo e para a minha vida, pude ainda perceber o quanto Deus me ama, conhecer as suas promessas e o que mais gosto de dizer é o quanto eu me tornei uma pessoa melhor, mais humana, compreensiva comigo mesmo e com aquele que está ao meu redor. A leitura da Bíblia aumentou em mim a concentração e desenvolveu o meu raciocínio", explica Márcio.

Maria Cecília afirma que a Igreja tem consciência desses frutos da leitura constante da Sagrada Escritura, tanto que ela está trabalhando para que a "Palavra de Deus seja colocada como centro da vida e da ação da Igreja".

"Não há nenhuma ação da Igreja que não deva ser alimentada, iluminada pela Palavra de Deus. Ela suscita, alimenta a vida pessoal e também a vida de toda pastoral da Igreja", destaca a assessora da comissão bíblico-catequética.

Mas o que fazer quando não se consegue compreender a Palavra de Deus?

Márcio recorda que nas primeiras vezes em que leu a Bíblia entendeu poucas coisas, mas por persistência, lia assim mesmo. "Sempre fui teimoso e não gostava de me sentir vencido", relata.
 
Arquivo pessoal
Márcio Ribeiro durante uma pregação. Atualmente ele coordena o Ministério de Pregação da RCC em Cascavel (PR)

Tempos depois foi à Paróquia que frequentava à procura de informações que o ajudassem a entender melhor a Bíblia. Começou a assistir o programa Escola da Fé, com o Prof. Felipe Aquino, e a partir das orientações do seu pároco adquiriu o livro "A Bíblia no meu dia a dia", de Monsenhor Jonas Abib. "Essas ferramentas foram sendo instrumentos eficazes na minha vida e me ajudando a superar as dificuldades", recorda Márcio.

E o esforço gerou frutos. Hoje Márcio é o coordenador do Ministério de pregação da Renovação Carismática Católica (RCC) na cidade de  Cascavel. Casado há apenas seis meses, continua fazendo seu diário espiritual, onde escreve suas experiências diárias com a Palavra de Deus e ali consegue constatar os cuidados e a fidelidade de Deus para com ele.

Essa formação cristã para o entendimento e a interpretação correta da Sagrada Escritura é, para a assessora da Comissão da CNBB, uma das funções da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética. E uma das orientações que a Igreja dá às pessoas que sentem dificuldades é que elas procurem estudar a Bíblia em comunidade.

"Qualquer agente de pastoral, qualquer cristão, na verdade, deve aproximar-se da Palavra de Deus para conhecê-la, e se há dificuldade de conhecê-la individualmente é porque realmente a Palavra de Deus é feita para ser estudada em comunidade, vivida em comunidade", afirmou Maria Cecília.

Ela destaca que a Igreja sugere o método da Lectio Divina, com seus quatro passos: leitura, meditação, oração e contemplação. Ela salienta ainda que "estudo é fundamental, mas a oração [com a Bíblia] também é fundamental. Para conhecer melhor e para entender e ser capaz de interpretar corretamente a Sagrada Escritura é necessário o estudo e a oração com a Palavra de Deus". 

0 comentários:

Postar um comentário

Fique ligado - Jubileu 16